domingo, 5 de agosto de 2012

MUSEU ESPÍRITA DE SÃO PAULO



Domério de Oliveira

Por diversas vezes, prazerosamente, já visitamos o Museu Espírita de São Paulo. Posso dizer que fiquei encantado com essa valiosa Casa que se destina a guardar a memória dos fatos espíritas.Sim, neste Museu, encontram-se documentos que registraram o nascimento da nossa doutrina, bem como, fotografias e dados biográficos de Eminentes Filósofos e Escritores Espíritas, cujos nomes guardam a luminosidade dos seus talentos fulgurantes.
O prédio do Museu possui 600 metros quadrados de área construída, com todos os requisitos da tecnologia moderna. Encontramos, no andar superior, o espaço suficiente para guardar 16.000 livros. 
No andar térreo, vislumbra-se magnífico e amplo salão nobre, para conferências, com poltronas estofadas, projetores, audio-tv-vt-, sistema de sons e tela "draper - automática", contando, ainda, com ventiladores, piano, mesa, parlatório e sistema de microfone sem fio. Enfim, tudo o que há de moderno, encontramos nas confortáveis instalações do aludido Museu. Fiquei comovido, quando o Dr, Paulo me mostrou páginas e páginas escritas pelo próprio Kardec, com aquela sua caligrafia uniforme e bem legível. Também, vi quadros alusivos ao Espiritismo e fotografias dos Expoentes Máximos da nossa Doutrina.
Evidente que, nos limites de uma modesta crônica, não há espaço para descrevermos as demais maravilhas do Museu Espírita de São Paulo, talvez o primeiro Museu Espírita do mundo. Cumpre-me esclarecer que este Museu tem suas raízes no "Lar da Família Universal" e foi criado estatuariamente em 18 de abril de 1.992e inaugurado em 18 de abril de 1.997 Coincidência agradável, o Museu foi inaugurado no dia em que veio a lume o Livro dos Espíritos.
O Museu Espírita de São Paulo tem por objetivo principal: "assegurar a perpetuidade e a memória da cultura espírita, bibliográfica, histórica e pedagógica".
Mas, os prezados leitores poderão me perguntar: quem cuidou de fundar este Museu; quem planejou; quem executou o seu projeto; quem conseguiu todo o seu magnífico acervo? podemos responder, com o maior respeito e com a mais ampla admiração: o autor de tudo isso foi o nosso valoroso Irmão de Ideal:
DR. PAULO TOLEDO MACHADO.
Sim, meus amigos, Dr. Paulo, de família espírita, digno e esforçado trabalhador da nossa Seara, por certo, não mediu sacrifícios para edificar esta obra perene, um verdadeiro marco na história do Espiritismo em nosso Pais.
Disse-me o Dr. Paulo que a idéia de um Museu Espírita foi do nosso Mestre Kardec, mas não conseguiu este seu intento , por que veio a falecer inesperadamente em 31 de março de 1.869. Então, Dr. Paulo, com aquela coragem dos grandes pioneiros, levou avante o plano de Kardec e, hoje graças aos seus ingentes esforços, contamos com este verdadeiro monumento que demonstra a pujança do Espiritismo, esta luz que não se perde e nunca se resume.
Um dia, quando se fizer o inventário destes nossos dias, quando as gerações vindouras voltarem os olhos para a história do Espiritismo, nestas plagas de Santa Cruz, haverão de encontrar neste nosso Museu a fonte suprema de inspiração, da verdade e do Amor. Nós passaremos, mas o Museu Espírita de São Paulo, por certo permanecerá - "adperpetuam rei memoriam", desafiando os ventos do materialismo e nos mostrando a outra face da vida, o Mundo Maior do Espírito. 
Em tempo: disse-me o Dr. Paulo que já adiquiriu área anexa ao Museu, onde pretende ampliar, ainda mais, as atividades desta Abençoada Casa. Você leitor amigo, faça uma visita ao Museu: situa-se na rua Guaricanga, nº 357/359 - Lapa S.P - Capital - Telefone: (011)- 260-6225.
Fonte Reformador - Julho 2000

2 comentários:

Equilíbrio disse...

Foi muito prazeroso para mim, saber que existe o museu espírita, de forma a preservar a memória espírita brasileira. Abraço fraterno.

Fernando Romano Menezes disse...

Para mim também, além de uma surpresa saber que existe um museu espírita. Abraços e obrigado pelo comentário!