segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Frase de Chico Xavier sobre os animais



Nós, seres humanos, estamos na natureza para auxiliar o progresso dos animais, na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar. Portanto quem chuta ou maltrata um animal é alguém que não aprendeu a amar.

- Chico Xavier

domingo, 21 de agosto de 2016

A Ciência constata: nada é material, tudo é vibração...

Experimento: Nossos sentimentos alteram nosso DNA

Os experimentos de Gregg Braden que demonstraram que nossos sentimentos alteram nosso DNA
A ciência já provou através da física quântica que somos energia e que estamos todos conectados através de nossa vibração.
Durante muito tempo achava-se que a menor partícula de uma célula, o átomo era feito de matéria. Depois descobriram que na verdade a maior parte de um átomo é vácuo, então achava-se que o núcleo que é muito pequeno seria material.
Esta idéia caiu por terra quando através do uso de microscópios eletrônicos muito potentes verificou-se que o núcleo de um átomo é apenas uma energia condensada, não é matéria.
Mas se tudo o que existe no mundo “material” é feito de um conjunto de células, estas são feitas de átomos e se um átomo de qualquer coisa não é material, então…
No nível ultramicroscópio, nada é material, tudo é vibração, tudo é feito de energia condensada.
Vivemos num universo de vibração e nossos corpos são feitos a partir da vibração da energia que emanamos constantemente.
O que você pensa sobre o seu corpo e a sua saúde???
Então já que a ciência atual consegue provar através da teoria quântica que pensamento é energia, que toda energia tem uma vibração e que a vibração cria o mundo material, nossos corpos e todo o restante ao nosso redor foi e continua sendo criado através das nossas mentes coletivas.
EXPERIMENTO 1
Neste experimento foi recolhida uma amostra de leucócitos (glóbulos brancos) de vários doadores. Estas amostras foram colocadas em uma sala com um equipamento de medição das alterações elétricas. Neste experimento o doador era colocado em outra sala e submetido a “estímulos emocionais”provocados por vídeos que lhe causavam emoções.
O DNA era colocado em um lugar diferente do doador, mas no mesmo prédio.
O doador e seu DNA eram monitorados e quando o doador mostrava alterações emocionais (medidas em ondas elétricas) o DNA visualizado através de microscópios MUITO potentes expressava RESPOSTAS IDÊNTICAS E SIMULTÂNEAS. Os altos e baixos do DNA COINCIDIRAM EXATAMENTE com os altos e baixos do doador.
O objetivo era saber a que distância poderiam estar separados o doador do seu DNA para que o efeito continuasse a ser observado. Pararam de fazer provas quando chegaram a uma distância de mais de 80 quilômetros entre o DNA e seu doador, e continuaram obtendo o MESMO resultadoSem diferença e sem atraso de transmissão.
O DNA e o doador tiveram as mesmas respostas ao mesmo tempo. Mas o que isto significa?
Gregg Braden diz que isto significa que as células vivas se reconhecem através de uma forma de energia não reconhecida com antecipação. Esta energia não é afetada nem pela distância nem pelo tempo. Não é uma forma de energia localizada, mas uma energia que existe em todas as partes e todo o tempo.
EXPERIMENTO 2
Um outro experimento realizado pelo Instituto Heart Math e o documento que o suporta têm o seguinte título: Efeitos locais e não locais de frequências coerentes do coração e mudanças na conformação do DNA.
Neste experimento retirou-se o DNA de uma placenta humana (a forma mais primitiva de DNA) e foi colocado em um recipiente onde era possível medir as mudanças do mesmo. Foram distribuídas 28 amostras em tubos de ensaio ao mesmo número de investigadores previamente treinados. Cada investigador havia sido treinado a gerar e SENTIR sentimentos, e cada um deles podiam ter fortes emoções.
O que se descobriu foi que o DNA mudou de forma de acordo com os sentimentos dos investigadores.
  • Quando os investigadores sentiram gratidão, amor e apreço, o DNA respondeu RELAXANDO-SE e seus filamentos estirando-se. O DNA  ficou maior.
  • Quando os investigadores sentiram raiva, medo e estresse, o DNA respondeu ENCOLHENDO-SE. Ficou mais curto e apagou muitos dos códigos.
Alguma vez você já se sentiu “carregados” por emoções negativas? Agora sabemos porque nossos corpos também se afetam. Os códigos de DNA se conectaram novamente quando os investigadores tiveram sentimentos de amor, alegria, gratidão e apreço.
Este experimento foi posteriormente aplicado a pacientes com HIV positivos. Eles descobriram que os sentimentos de amor, gratidão e apreço criaram uma resposta imune 300.000 vezes maior do que os que não os tinham. Assim, aqui temos uma resposta que pode nos ajudar a permanecer com saúde, sem importar quão “danoso” seja o vírus ou a bactéria que esteja flutuando ao nosso redor.
Essencialmente podemos influenciar essa rede de criação por meio da nossa VIBRAÇÃO. Há mais de cinquenta anos, em 1947, o Dr. Hans Jenny desenvolveu uma nova ciência para investigar a relação entre a vibração e a forma. Mediante seus estudos, o Dr. Jenny demonstrou que a vibração produzia até geometria.
O Dr. Jenny produziu uma surpreendente variedade de desenhos geométricos, desde alguns muito complexos até outros bastante simples, em materiais como água, azeite, grafite e enxofre em pó. Cada desenho era simplesmente a forma visível de uma força invisível.
A importância destas experiências é que, com elas, o Dr. Jenny provou, sem espaço para dúvidas, que a vibração cria uma forma previsível na substância onde é projetada. Pensamento, sentimento e emoção são vibrações que criam um transtorno sobre a matéria em que são projetados, por esta razão precisamos tomar cuidado com o que pensamos e sentimos.
Exemplos do quê as ondas vibratórias invisíveis, como o som por exemplo, provocam na matéria:
Muitas pessoas se exercitam, vão à academia, bebem muita água, comem alimentos saudáveis, mas vivem com raiva ou pessimismo, assistem sempre aos noticiários negativos, adoram filmes de guerra, drama e violência, conversam sobre doenças, crise financeira, guerras, estas pessoas geralmente não entendem por que ficam doentes e deprimidas…O alimento que ingerimos é importante, mas as emoções são o alimento da alma e este alimento (as emoções) influenciam a nossa saúde e o nosso destino completamente.
Que tal ser amigo da sua alma?
Veja e ouça coisas engraçadas, divertidas, alegres, bonitas, românticas, interessantes, instrutivas, espiritualistas, otimistas…
Deixe o noticiário de lado, as conversas negativas, os livros e filmes violentos e tristes, pois o que isso agrega de qualidade positiva em sua vida? NADA!!!! Negativamente: TUDO!!! Isso não significa ser alienado!! Significa não se expor além do necessário.
Seja mais feliz, ame-se e cuide com o alimento da sua alma…
Assista ao vídeo onde o pesquisador Gregg Braden explica seus pontos de vista sobre o assunto.
Fontes:
  • Extraído do livro “Awakenning to Zero Point”, Gregg Braden.
  • http: //consejosdelconejo.com/2015/11/07/adn-y-emociones-por-gregg-braden/

Fonte: https://cidapereira01.wordpress.com/2016/08/17/a-ciencia-constata-nada-e-material-tudo-e-vibracao/. Matéria enviada pela colaboradora do blog Luciana Bizarri.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Filme sobre a vida de Allan Kardec é anunciado para 2017

A Federação Espírita Brasileira confirmou a adaptação do livro Kardec – A Biografia, de Marcel Souto Maior, para os cinemas. O filme está previsto para o início de 2017 e contará com a direção de Wagner de Assis, que também irá dirigir o filme Nosso Lar 2 – Os Mensageiros, sem previsão de lançamento. De acordo com a revista Veja, o ator Tony Ramos foi o primeiro nome pensado para dar vida ao escritor, educador e codificador da doutrina espírita Allan Kardec (1804-1869).

É bom lembrar que também atuou no filme “Chico Xavier”, lançado em 2010. No longa, Tony Ramos viveu o diretor de TV Orlando, que não acreditava no espiritismo.

Fonte:http://espiritaonline.com/post/entretenimento/43-filme-sobre-a-vida-de-allan-kardec-e-anunciado-para-2017.html

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Sobre o Brasil, e o Planeta... Chico e Emmanuel no Pinga Fogo já diziam

BRASIL (I)

Pergunta: Com relação à situação do Brasil, em termos gerais, em que a Espiritualidade Maior pode instruir-nos a respeito?

Emmanuel - Estamos, hoje, em meio a uma crise moral de grandes proporções, o que de modo geral ampliaria os problemas cotidianos de uma nação qualquer, assim como se faz conosco. A conscientização de nossa condição de co-responsáveis por tudo que se passa ao nosso redor é o que deve prevalecer. Passamos por um momento de revisão de conceitos morais e éticos e, nesse momento, o esforço de cada membro da nossa sociedade deve estar orientado no sentido de melhor cumprir os deveres e obrigações de cidadão, com muita disciplina, vontade de melhora geral, trabalho e muita, mas muita, oração. O pensamento cristão deve prevalecer sempre.


BRASIL (II)



Pergunta: Se os Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário fossem dirigidos por pessoas espíritas e evoluídas, teríamos um país melhor?

Emmanuel - Não se trata de somente termos dirigentes espíritas, se tivéssemos dirigentes mais evoluídos certamente já teríamos hoje um país melhor. Entretanto, não se pode esquecer que uma nação não é formada apenas de dirigentes, existe em número maior o povo. E nosso povo, como um todo, precisa realmente buscar sua evolução moral e intelectual a fim de construir uma nação mais fraterna e cristã por excelência.


BRASIL (III)



Pergunta: O Brasil continua sendo o “Coração do mundo e Pátria do Evangelho?” E atualmente, no Brasil, existe algum espírito superior que possa levar o país ao desenvolvimento global?

Emmanuel - Essa denominação foi dada ao Brasil por Jesus e não lhe será tirada. Espíritos de escol têm reencarnado em todas as partes, no seio de todos os povos, para o progresso geral.
O Brasil não está desprovido dessas almas. Cabe a cada um de nós o aperfeiçoamento íntimo, que é a obrigação primeira de todo espírito encarnado e, juntos, fazendo de nossos corações e lares recantos de paz, terão um país de grandes realizações.


CONDIÇÕES DO PLANETA - I



Pergunta: O que a Doutrina Espírita pode dizer a respeito do fim dos tempos, isto é, como ocorrerá a transformação do planeta em planeta de provas e expiações para o de regeneração?

Emmanuel - Através da busca da espiritualização, superação das dores e construção de uma nova sociedade, a humanidade caminha para a regeneração das consciências. Trabalho e amor ao próximo com Jesus, este é o caminho.


Nota: Emmanuel afirma que a Terra será um mundo regenerado por volta de 2057. Cabe, a cada um, longa e árdua tarefa de ascensão.



CONDIÇÕES DO PLANETA (II)



Pergunta: Qual a classificação do Planeta Terra na Hierarquia Universal? É verdade que a humanidade se encontra ainda no estágio animal e não hominal?

Emmanuel - Planeta de Prova e Expiação. Segundo Allan Kardec, a Terra deixará de ser um mundo de dor, de provas e de expiações, para ser um mundo de Regeneração, de reequilíbrio, de felicidade. Encontramo-nos em processo de evolução.
Encarnado no corpo do homem, o espírito lhe traz o princípio intelectual e moral que o torna superior aos animais. Purificando-se, o espírito se liberta pouco a pouco da influência da matéria. Sob essa influência aproxima-se do bruto, mas não deixa de pertencer ao reino hominal. Isento dela, elevar-se-á à sua verdadeira destinação, ou seja, a de espírito puro.


Fonte: http://www.institutoandreluiz.org/perguntas_e_respostas_print.html

Cientista faz revelação fantástica: ''A morte é apenas uma ilusão: nós continuamos a viver em um universo paralelo''

(Nota do blogueiro: considero esta uma ótima notícia, apesar de não falar especificamente de Espiritismo ou ser puramente Doutrinária. Mostra que a Ciência está buscando respostas [respostas estas que, segundo nós espíritas, foram decodificadas por Kardec há mais de 150 anos]. De qualquer modo, neste interessante artigo visualizei o princípio daquilo que nosso querido irmão André Luiz já havia pontificado: o dia em que a Ciência se juntará à Religião e ambas caminharão de mãos dadas. 
Texto gentilmente cedido por Luciana Bizarri, para o blog.)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Por quanto tempo filósofos, cientistas e religiosos têm ponderado o que acontece após a morte?


Existe vida após a morte, ou nós simplesmente desaparecemos no grande desconhecido?


Há também uma possibilidade de que não existe tal coisa como geralmente definimos como a morte. Uma nova teoria científica sugere que a morte não é o evento terminal que pensamos.


Um tempo atrás, os cientistas relataram que encontraram a primeira evidência de universo paralelo.

Esta descoberta nos leva a um assunto instigante chamado de "Biocentrismo".



Robert Lanza, MD, cientista, teórico e autor de  "O biocentrismo - Como vida e consciência são as chaves para entender a verdadeira natureza do Universo", pensa que há muitas razões pelas quais não vamos morrer.



Para ele, a morte não é o fim, como muitos de nós pensamos. Acreditamos que vamos morrer, porque é o que nos foi ensinado, Robert Lanza diz em seu livro.

Será que você continuaria a viver em um universo paralelo?

Há muitas experiências científicas que questionam seriamente o termo morte, tal como a conhecemos.

De acordo com a física quântica certas observações não podem ser previstas com certeza. Em vez disso, há uma gama de possíveis observações cada uma com uma probabilidade diferente.

A interpretação "de muitos mundos", afirma que cada uma dessas observações possíveis corresponde a um universo diferente, o que é geralmente chamado de "multiverso".


Robert Lanza tomou estas teorias ainda mais interessantes.



Ele acredita que "há um número infinito de universos, e tudo o que poderia acontecer ocorre em algum universo.

Sua energia nunca morre

A morte não existe em qualquer sentido real nesses cenários. Todos os universos possíveis existem simultaneamente, independentemente do que acontece em qualquer um deles.



Embora corpos individuais estão destinados a auto-destruição, o sentimento vivo - o "Quem sou eu?" - É apenas uma fonte de 20 watts de energia operando no cérebro. Mas esta energia não desaparece com a morte. Uma das mais seguras axiomas da ciência é que a energia nunca morre; ele pode ser criada nem destruída ".



Esta energia pode transcender de um mundo para outro.

A importância da consciência

"Considere o princípio da incerteza, um dos aspectos mais famosos e importantes da mecânica quântica. Experimentos confirmam que está integrada no tecido da realidade, mas ela só faz sentido de uma perspectiva biocêntrica.



Se há realmente um mundo lá fora, com partículas saltando ao redor, então devemos ser capazes de medir todas as suas propriedades. Mas nós não podemos. Por que isso deveria importar a uma partícula que você decidir para medir?

A morte pode não ser verdadeira em todos os sentidos

Considere a experiência da dupla fenda: se um "relógio" uma partícula subatômica ou um pouco de luz passa através das fendas em uma barreira, ela se comporta como uma partícula e cria batidas de aspecto sólido por trás das fendas individuais sobre a barreira final que mede os impactos.



Como uma pequena bala, que logicamente passa através de um ou do outro furo.



Mas se os cientistas não observam a trajetória da partícula, então ela exibe o comportamento de ondas que permitem que ela passe através de ambos os furos, ao mesmo tempo.



Por que a nossa observação pode mudar o que acontece? Resposta: Porque a realidade é um processo que requer a nossa consciência ", diz Lanza.

Você não existiria sem a consciência. Uma das razões para Robert Lanza achar que você não vai morrer, é porque você não é um objeto. Você é um ser especial. De acordo com biocentrismo, nada poderia existir sem consciência. Lembre-se que você não pode ver através do osso que circunda o cérebro.

O espaço e o tempo não são objetos duros, mas as ferramentas de nossa mente usa para tecer tudo junto.



Tudo o que você vê e experimenta agora é um turbilhão de informações que ocorre em sua mente. O espaço e o tempo são simplesmente as ferramentas para colocar tudo junto.



Lanza recorda que a morte não existe em um mundo sem espaço atemporal.



Não há distinção entre passado, presente e futuro. É apenas uma ilusão teimosamente persistente.



A imortalidade não significa uma existência perpétua no tempo sem fim, mas reside fora de tempo completamente.



Albert Einstein disse uma vez: "A realidade é meramente uma ilusão, embora um muito persistente."



Como podemos dizer o que é real e o que não é? Como podemos saber com certeza que o nosso cérebro não está nos dando a ilusão de um mundo físico?

Fonte: http://interligadonoticias.blogspot.com.br/2016/05/cientista-faz-revelacao-fantastica.html

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Atletas do Espírito

Uma vida dedicada à disciplina e à superação de limites. Reavaliações e repetições constantes sempre em busca de um melhor desempenho de um aprimoramento que – como bem se sabe – é lento e gradual. Um senso apurado de coletividade e de trabalho em equipe. Aquela sensação ímpar de que, independentemente do resultado, fizemos o nosso melhor. A satisfação de atingirmos um objetivo outrora distante e a vontade de conquistarmos ainda mais. A alegria e a responsabilidade de servir de exemplo a tantos outros…
Essas são algumas das sensações comuns àqueles que se dedicam à prática de determinada modalidade esportiva, seja de forma amadora ou profissional e certamente já foram experimentadas em alguma escala pela maioria de nós. Que bom seria só fôssemos capazes de perceber a importância que há em nos dedicarmos ao menos em igual medida a sermos também atletas do intelecto e do espírito.
Imaginem a radical mudança de paradigma que haveria se, enquanto atletas do espírito, deixássemos de nos dedicar apenas à repetição de ritos e liturgias (como muitos ainda fazem), para nos determos em um refletir constante e uma avaliação das razões de nosso existir para alcançarmos um melhor desempenho e um progresso efetivo também na seara espiritual.
Ponderem o grande benefício que haveria se, enquanto atletas do intelecto,  deixássemos de apenas repetir fórmulas prontas e pasteurizadas, de decorar resumos e apostilas, de aguardar passivamente que algo de bom nos seja transmitido como que por osmose, para de fato nos determos em estudar, analisar, refletir, criar, propor novas soluções à velhos problemas, etc.
Uma sociedade que valoriza muito mais a forma do que a essência está certamente deixando um grande déficit para aquilo que seria de maior relevância para os seus cidadãos. Evidentemente que o culto à forma física em detrimento das questões de ordem espiritual gera uma distorção que deve ser corrigida o quanto antes.
Podemos, contudo, tirar excelentes exemplos das condutas comuns aos atletas das mais variadas modalidades esportivas para pautarmos nosso agir enquanto atletas do espírito.  Se formos capazes de nos dedicar ao nosso aprimoramento espiritual com o mesmo afinco e disciplina que muitos atletas praticam em seus treinos e competições, certamente sairemos vencedores de quaisquer desafios que possam surgir.
Evidentemente que não há mal nenhum nas práticas esportivas e na dedicação ao bem-estar físico. Pelo contrário! Mente sã em corpo são. A preocupação com a saúde física é algo essencial para todos e as práticas esportivas devem ser incentivadas. O segredo de tudo está sempre no equilíbrio, em sabermos dar a devida importância a cada elemento de nossas vidas,  sendo sempre importante lembrarmos daquilo que é perene, ou seja, o espírito.
É preciso que nos convençamos de que o nosso corpo físico é efêmero, que é como uma veste de que nos valemos enquanto encarnados, enquanto nosso espírito, aquilo que de fato somos, é perene e jamais deixará de ser ou existir. Quem sabe se nos dermos conta de que somos espíritos, e não um corpo físico, nossa dedicação aos atributos espirituais cresça de importância em nossa escala de prioridades.

Rodrigo Fontana França
Fonte: http://serespirita.com.br/atletas-do-espirito/

sábado, 6 de agosto de 2016

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Médicos pesquisam influência do Passe espírita para tratar a ansiedade

Um grupo de oito médicos da Associação Espírita de Médicos de Botucatu (SP) se reuniu para pesquisar a influência da terapêutica energética do “passe” espírita na redução da ansiedade. A técnica, originada das práticas de cura do cristianismo primitivo, consiste basicamente na imposição de mãos sobre uma pessoa, a fim de transferir boas energias e tratar o lado espiritual de quem recebe o “passe”.
A pesquisa teve início em 2014 e está em fase de desenvolvimento na Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). De acordo com o médico infectologista Ricardo de Souza Cavalcante, a inspiração para a pesquisa surgiu de outro grupo de médicos, de São Paulo, que iniciou um estudo sobre a eficácia de uma técnica semelhante, o Reiki, de origem japonesa.
Passistas preparados para receber grupo de pessoas para o passe conjugado (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)Passistas preparados iniciar sessão do passe
conjugado (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)
O estudo sobre o “passe” é feito com voluntários, não necessariamente espíritas ou praticantes de alguma religião, que não estejam fazendo nenhum tipo de tratamento psicológico ou psiquiátrico. “Primeiramente, nós fazemos uma avaliação médica para verificar se o voluntário tem realmente o diagnóstico de ansiedade. Se confirmado, o paciente passa a frequentar a sala de estudos uma vez por semana, durante oito semanas, para receber o 'passe' ”, explica Ricardo.
Ainda de acordo com o médico, antes de iniciar o tratamento, os participantes passam por um tempo de meditação e concentração. Música ambiente é utilizada para relaxar e, por 5 minutos, um terapeuta impõe as mãos sobre a cabeça, tórax e barriga do voluntário. São levados em conta, na análise, níveis de depressão, qualidade de vida e grau de espiritualidade do paciente.
Os voluntários respondem a um questionário ao final de cada sessão e, alguns deles, passam por exames de eletroencefalograma, para medir as variações das ondas cerebrais antes, durante e depois do procedimento.
Passe conjugado, com dois ou mais passistas (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)Passe conjugado, com dois ou mais
passistas (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)
Ciência e espiritualidade
Nas últimas décadas, muitos estudos científicos têm sido feitos a fim de demonstrar os benefícios de aliar o trabalho com a espiritualidade ao tratamento médico convencional.
“Houve uma separação histórica, mas eu acredito que essas coisas precisam caminhar juntas. O ser humano deve ser visto como um todo. Nós não somos só um amontoado de células. Temos, comprovadamente, um lado emocional, espiritual”, pontua Ricardo.
A dona de casa Silvia Helena Vieira da Silva, de 47 anos, é uma das voluntárias que participarão da pesquisa. Católica, ela acredita que as práticas espíritas podem colaborar para o bem-estar. “Nós estamos tão ansiosos, nos medicando tanto, que eu gostaria de experimentar algo que não fosse medicamento, até porque remédios atacam meu organismo. Se eu puder fugir, eu fujo”, declara Silvia, que sofre as consequências físicas da ansiedade.
“Nós que temos filhos, estamos sempre na expectativa de algo. É um convívio constante com a ansiedade. Quando ela aparece, meu intestino solta, sinto dores no estômago e na cabeça. Quero muito que esta iniciativa dê certo”, conta.
Os interessados em participar da pesquisa podem obter informações pelo telefone (14) 3811- 6547."Muitos voluntários estão participando da pesquisa. Eles precisaram demonstrar ter ansiedade e não esteja em tratamento psicológico pode participar. Nosso objetivo não é converter ninguém”, explica o médico.
Leopoldo, diretor de comunicação do Centro Espírita Amor e Caridade (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)Leopoldo Zanardi, diretor de comunicação do Centro Espírita Amor e Caridade (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)



















Passe na Dourtina Espírita
De acordo com Leopoldo Zanardi, diretor de comunicação do Centro Espírita Amor e Caridade, deBauru (SP), o “passe” trata-se de uma assistência espiritual, denominada de fluidoterapia, e que não anula a necessidade do tratamento médico. Este nome é dado por ser uma transferência de energias. “As mãos são colocadas de 10 a 15 centímetros acima da cabeça, não há toque físico. A Federação Espírita brasileira aconselha que as mãos sejam colocadas apenas sobre a cabeça”, conta Leopoldo.
Ele explica também que, na doutrina espírita, acredita-se que além das boas energias passadas pelo passista, existe também a atuação de espíritos que identificam e agem diretamente no problema de quem está recebendo o passe, seja ele físico, emocional ou espiritual. O procedimento pode ser individual (“passe simples”) ou em grupo (“passe conjugado” – 2 ou mais passistas realizam o procedimento). Mas quanto mais pessoas estiverem juntas, melhor, de acordo com Leopoldo.
Prece feita pelo grupo mediúnico antes de dar início ao procedimento (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)Prece feita pelo grupo mediúnico antes de dar
início ao procedimento (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)
No Centro Espírita, o passe simples pode ser tomado por qualquer um que desejar, sem a necessidade de entrevista. Mas, para aqueles que querem tratar algo específico, é necessário passar pelo atendimento, onde será identificada a necessidade de cada pessoa.
Em seguida a pessoa recebe um papel que dá direito a oito passes, que devem ser tomados uma vez por semana. Em ambos os casos, os pacientes entram em uma sala, após um período de oração do grupo mediúnico (responsável por aplicar os passes), sentam-se nas cadeiras e estendem as duas mãos para frente, como quem está para receber algo.
Os passistas, como também são chamados os membros do grupo mediúnico, impõe as mãos sobre a cabeça das pessoas, uma nova prece é anunciada e, após poucos minutos de silêncio, tudo está feito. Depois de dispensar as pessoas, os passistas fazem outra oração de agradecimento e encerram o procedimento. “É importante ressaltar que não se deve abrir mão do tratamento médico. Nós oferecemos uma assistência espiritual. Também não basta apenas 'tomar o passe’. É necessário assistir às palestras, mudar o pensamento, buscar ser melhor a cada dia. Dominar as más inclinações e fazer caridade. Precisamos estar em constante evolução”, completa Leopoldo.
Iole Angelo Cintra fala de sua experiência com o 'passe' (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)Iole Angelo Cintra fala de sua experiência com o
passe espírita (Foto: Isabela Ribeiro/ G1)
Para a dona de casa Iole Angelo Cintra, de 46 anos, tomar os “passes” trouxe melhora para problemas de insônia e dor de cabeça que, segundo ela, tinham raiz espiritual.
“Eu não dormia direito à noite. Aqui no centro descobri que eu tinha ‘desdobramento’, que é uma espécie de mediunidade que me faz sair do meu corpo. Eu me via dormindo à noite e andava pela minha casa. Quando comecei a tomar os passes, as dores de cabeça sumiram e eu pude controlar mais esse desdobramento. O efeito do passe é ótimo, mas também depende da pessoa se esforçar para ser alguém melhor”, contou Iole.

Fonte: http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/2015/03/medicos-pesquisam-influencia-do-passe-espirita-para-tratar-ansiedade.html

Identidade na Diversidade

Às vezes temos a falsa sensação de que nossa passagem pela Terra seria muito menos atribulada se pudéssemos contar com uma maior homogeneidade nos diversos momentos de nossas vidas. Imaginamos que encontraríamos maior felicidade se todos pensassem e agissem de forma semelhante, se possível idêntica.
Curiosamente, costumamos ter a egoística pretensão de nos colocar como um exemplo a ser seguido e nos questionamos: – Por que os outros não pensam assim como eu? Se assim fosse, tudo seria tão mais fácil…
Contudo, a experiência nos mostra que a diversidade é preponderante em absolutamente todas as nossas searas de análise e atuação. Em que pese todos termos em comum os fatos de sermos humanos e de termos todos sido creados por Deus (um mesmo Deus para todo o Cosmos, em que pese as diversas visões trazidas pelas religiões), cada um de nós é absolutamente único e, como tal, tem uma forma peculiar de pensar e agir.
Não é difícil atentarmos para o fato de que as pessoas aqui na Terra possuem diferentes culturas, gostos, profissões, orientações afetivas, formas de expressão, constituições físicas, opções religiosas, etc. Ainda assim, todos – sem exceção – são iguais no que tange ao direito à felicidade e a uma existência plena.
Ao longo de nossa história, algumas das maiores atrocidades que cometemos foram justamente pela absoluta falta de tolerância, por não conseguirmos nos identificar com os nossos semelhantes, a quem muitas vezes só conseguimos apontar as diferenças.
Passados tantos séculos desde a origem da civilização e tendo em conta que cada vez mais vivemos conectados e somos absolutamente dependentes uns dos outros, não é mais admissível alimentarmos ideias de intolerância e de desrespeito à diversidade.
Desde a nossa gênese, cada um de nós passou por experiências ímpares que nos possibilitaram diferentes aprendizados e reflexões. Nossas trajetórias evolutivas enquanto espíritos também não se dão de forma idêntica. Em virtude de nossas próprias escolhas e de nossas vivencias anteriores, seguimos por diferentes vias, cada qual a seu tempo e segundo seus méritos. Enquanto encarnados, cada um tem provações e expiações a superar, bem como um sentido missionário a desempenhar, sendo tal trajetória também particular.
Logo, é evidente que não há sentido em almejarmos que todas as pessoas pensem, ajam, sintam, falem e sejam iguais já que essa absoluta diversidade em que estamos inseridos é o que de fato nos enriquece e possibilita nossa evolução.
Assim, devemos perceber que é na diversidade que podemos fazer aprendizado e crescimento efetivo, é na diversidade que podemos tirar valiosas lições dos erros e dos acertos dos outros, é na diversidade que aprendemos a tolerar e a respeitar, é na diversidade que podemos conhecer a nós mesmos a fundo de modo a alcançarmos o equilíbrio necessário ao bom exercício de nossos papéis… Enfim, é na diversidade que fazemos identidade conosco mesmos e com o nosso Criador.
Fonte: http://serespirita.com.br/identidade-na-diversidade/