quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Chico Xavier, Nair Belo (psicografia do filho)

Segundo a doutrina espírita, a psicografia seria uma das múltiplas possibilidades de expressão mediúnica existentes. Allan Kardec classificou-a como um tipo de manifestação inteligente, por consistir na comunicação discursiva escrita de um espírito, por intermédio de um homem.

O mecanismo de funcionamento da psicografia, ainda segundo Kardec, pode ser consciente, semi-mecânico ou mecânico, a depender do grau de consciência do médium durante o processo de escrita.

No primeiro caso, o menos passível de validação experimental, o médium tem plena consciência daquilo que escreve, apesar de não reconhecer em si a autoria das idéias contidas no texto. Tem a capacidade de influir nos escritos, evitando informações que lhe pareçam inconvenientes ou formas de se expressar inadequadas.


Alegoria que representa, segundo a ótica espírita, o Médium Chico Xavier, psicografando uma mensagem do Espírito de EmmanuelNo segundo, o médium poderia até estar consciente da ocorrência do fenômeno, perceber o influxo de idéias, mas seria incapaz de influenciar o texto, que basicamente lhe escorreria das mãos. O impulso de escrita é mais forte do que sua vontade de parar ou conduzir voluntariamente o processo.

No terceiro caso, o mais adequado para uma averiguação experimental controlada, o médium poderia escrever sem sequer se dar conta do que está fazendo, incluindo-se aí a possibilidade de conversar com interlocutores sobre determinado tema enquanto psicografa um texto completamente alheio ao assunto em pauta[carece de fontes?]. Isso porque, segundo Kardec, esses médiuns permitiriam ao espírito agir diretamente sobre sua mão ou seu braço, sem recorrer à mente.

Além da doutrina espírita, há várias correntes místicas e religiosas que admitem a possibilidade da ocorrência desse fenómeno, como a Umbanda e a Teosofia.

Entre os textos ditos psicografados encontram-se obras atribuídas a autores conhecidos — uns adeptos, em vida, de doutrinas compatíveis com esta prática, como Allan Kardec ou Arthur Conan Doyle, outros nem tanto, como Camilo Castelo Branco ou Albert Einstein.

Francisco Cândido Xavier (Pedro Leopoldo, 2 de abril de 1910 — Uberaba, 30 de junho de 2002), nascido como Francisco de Paula Cândido e mais conhecido popularmente por Chico Xavier, notabilizou-se como médium e célebre divulgador do Espiritismo no Brasil
-----------------------------------------------------------------------------------

2 comentários:

Antonio disse...

estou triste, meu marido só sabe briga ,ñ saio mas de casa , desanimada,se eu podese saber como a minha irmã esta do outro lado da vida, queria ser feliz

Entendendo o Espiritismo disse...

Antonio,
Não fique triste, tente pensar nas coisas boas que sua querida irmã te deixou, aposto que ela também esta muito triste em saber de seu sofrimento.
A vida de um casal tem seus altos e baixos, não se deixe influenciar pelo lado negativo do que acontece com vocês, tente ao menos entender mais seu marido mesmo que ele não te entenda, se coloque no lugar dele.
Para te ajudar tente renovar sua vida atual neste planeta de provas e expiações, sei que ninguém muda ninguém o que podemos fazer para melhorar nossas relações não so espiritual, mas digo na carnal, é mudar o que sentimos dentro de nós.
Imagine a beleza dentro de você se aflorando para frente, imagine o crescimento belo.
Quando for realizar essa rforma intima, pense no Cristo, em Judas, Pedro, André, Thomas, todos esses personagens da vida real com carinho, para chegar onde eles chegaram eles também passaram por bons Bocados da vida.
Paz e um grande abraço fraternal